22

set

Repórter: Danilo Oliveira   |   Postado por: Danilo Oliveira às 07:33 hrs

UNEB recebe unidade móvel da Sesab para mais de 4 mil mamografias entre outubro e novembro

Apenas para atendimentos agendados previamente, a unidade móvel estará no Campus de Salvador entre 04/10 e 13/11

Tradicional parceira do Programa Estadual de Rastreamento do Câncer de Mama, a UNEB participará novamente da iniciativa em 2021. A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) disponibilizará unidade móvel, entre os dias 4 de outubro e 13 de novembro, no Campus I, em Salvador.

A iniciativa faz parte da programação da Sesab para o Outubro Rosa, movimento internacional que estimula empresas, população e entidades a trabalhar na detecção precoce e tratamento do câncer de mama.

Apenas na unidade da UNEB, serão ofertados 140 exames de mamografia nos turnos matutino (70) e vespertino (70). Para atendimento, é necessário agendamento prévio, por link que será disponibilizado no site da Sesab. Para maiores informações, as interessadas podem telefonar para o 0800 071 4000.

A iniciativa realizará atendimentos de segunda a sábado e tem como público-alvo pessoas entre 40 e 69 anos. Para garantir participação, é preciso a apresentação do Cartão do SUS, de documento de identificação (RG) e comprovante de residência.

Para a garantia de segurança das pessoas atendidas, serão promovidas medidas de prevenção contra a Covid-19, com a preservação do distanciamento social, exigência de máscara e organização de horários pré-agendados.

O câncer de mama

O Inca explica que o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas.

Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a características próprias de cada tumor.

O câncer de mama pode ser percebido em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio dos seguintes sinais e sintomas:

Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
– Alterações no bico do peito (mamilo);
– Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;
– Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Múltiplos fatores podem estar relacionados à causa do câncer de mama, entre eles estão: inatividade física; idade da primeira menstruação (menor do que 12 anos); menopausa após os 55 anos; mulheres que nunca engravidaram ou nunca tiveram filhos (nuliparidade) ou que tiveram a primeira gravidez após os 30 anos.

Também são averiguadas questões como o uso de alguns anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal (TRH) na menopausa, especialmente se por tempo prolongado; exposição à radiação ionizante; consumo de bebidas alcoólicas; dietas hipercalóricas; sedentarismo e predisposição genética.

Atualmente, os médicos recomendam a identificação da doença em estágios iniciais por intermédio das estratégias de detecção precoce, pautadas nas ações de rastreamento e diagnóstico precoce. A mamografia bienal para as mulheres na faixa etária estabelecida é a estratégia de rastreio indicada.

O tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo). Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento tem maior potencial curativo.

Foto (home): reprodução A Tarde Online