01

jul

Repórter: Leandro Pessoa, Núcleo de Jornalismo / Ascom   |   Postado por: Toni Vasconcelos às 15:41 hrs

Cacique Babau Tupinambá recebe título de Doutor Honoris Causa da UNEB; Conselho Universitário aclama concessão por unanimidade

Sessão especial do Consu, realizada remotamente, foi transmitida ao vivo pelo canal da TV UNEB no YouTube

O líder indígena Rosivaldo Ferreira da Silva, o cacique Babau Tupinambá, é, desde ontem (30), Doutor Honoris Causa da UNEB.

A honraria máxima da universidade foi entregue ao cacique em sessão especial do Conselho Universitário (Consu) da instituição, realizada remotamente por meio de aplicativo, com transmissão ao vivo pelo canal da TV UNEB no YouTube, na noite dessa quarta-feira.

A concessão do título foi aclamada por unanimidade pelos 47 conselheiros presentes à solenidade, coordenada pelo reitor José Bites, presidente do Consu. Participaram também parlamentares, secretários do governo estadual, representantes da comunidade acadêmica e de povos indígenas, entre outros convidados.

O cacique Babau é o quarto indígena brasileiro a receber essa honraria de uma universidade do país. Os caciques Raoni, Ailton Krenak e Caboclinho, também receberam a homenagem das universidades Estadual do Mato Grosso (Unemat), Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Federal do Pará (Ufpa), respectivamente.

“Recebemos juntos esse título. Ele não é meu, é do nosso povo, da nossa luta, é do Brasil! Esse título vem quebrar o ciclo de violência, discriminação e apagamento da história indígena do país. Isso significa que a academia está olhando para os nossos conhecimentos, para os nossos saberes,  e isso vai dar força para outros povos trilharem esse caminho, saberem que vale a pena defender a natureza, a vida, defender o outro”, destacou o líder em seus agradecimentos.

O reitor pontuou a sincronicidade da data de outorga com mais um dia marcado pela luta dos indígenas brasileiros, cujos representantes acampados em Brasília se manifestaram pela não aprovação da tese do “marco temporal”, defendida no Projeto de Lei 490/2007, que coloca em risco os povos e as terras indígenas já demarcadas, abrindo-as à exploração econômica predatória.

Líder mostra diploma da UNEB

“Reconhecer nessas lideranças o valor de suas ações é manter vivas a alma e a natureza inquieta desse espaço que é a universidade. Os povos originários foram e são os guardiões da natureza; são a memória de um tempo que não se perdeu em respeito às tradições. Somos mais indígenas do que podemos imaginar. Reconhecer a luta desses irmãos é reconhecer a nossa história, é lutar juntos e, juntos, construir um país melhor”, afirmou Bites.

O proponente da honraria, o estudante de Pedagogia Vitor Amaral, também participou da cerimônia. Ele apresentou a trajetória de vida e luta do cacique Babau, e recordou como nasceu e foi construída a proposta de concessão do título, encaminhada ao Conselho Universitário em 2019.

Segundo o estudante, a ideia surgiu durante o Fórum Social Mundial realizado em Salvador em 2018, a partir de uma conversa com a professora Maria Geovanda Batista, coordenadora Centro de Estudos e Pesquisas Intercultural da Temática Indígena (Cepiti) da UNEB. À época, Vitor era representante discente no Consu.

A atuação social da universidade voltada aos povos indígenas também foi destacada na sessão especial. Foram citados, como exemplo, a pioneira política de cotas da instituição para acesso aos cursos de graduação e pós-graduação; o Cepiti e os centros de Estudos dos Povos Afro-Índio-​Americanos (Cepaia) e de Pesquisas em Etnicidades, Movimentos Sociais e Educação (Opará); os curso de Licenciatura Intercultural em Educação Escolar Indígena (Liceei) e de Pedagogia Intercultural em Educação Escolar Indígena, além dos grupos de pesquisa de saberes indígenas da UNEB.

No rito de outorga, cacique Babau recebeu de sua irmã, Glicéria Tupinambá, as vestes talares e o diploma de Doutor Honoris Causa, enviados pela universidade. O líder agradeceu e retribuiu a honraria presenteando a universidade com dois tacapes, especialmente produzidos por sua aldeia, que serão entregues ao reitor e à professora Geovanda Batista.

Em quase toda a cerimônia, Babau trajou um manto tupinambá, confeccionado por sua irmã particularmente para a ocasião. “Neste manto, reuni a força da luta, da terra e dos pássaros, fortalecendo-o com toda a sabedoria e a energia da natureza”, ressaltou Glicéria.

A sessão foi encerrada com a execução do Hino ao 2 de Julho, pela dupla musical Os Desatinados.

Babau trajando as vestes talares

Honraria maior

O título de Doutor Honoris Causa é conferido pela UNEB a educadores, cientistas, pesquisadores e personalidades eminentes, nacionais ou estrangeiros, não pertencentes ao quadro da universidade, que tenham prestado serviços relevantes ao ensino, pesquisa, cultura, letras e artes.

O processo da outorga do título ao cacique Babau demandou visita de membros do Consu à aldeia da Serra do Padeiro, em Buerarema, no sul da Bahia, terra tupinambá.

No encontro, constatou-se a contribuição da liderança de Babau para a sua comunidade e para outras nações indígenas do Brasil, por meio dos saberes ancestrais que ele pratica, em defesa dos direitos humanos, da terra e da natureza.

Líder tupinambá

Registrado civilmente como Rosivaldo Ferreira da Silva, cacique Babau é uma grande liderança na Terra Indígena Tupinambá situada nos municípios de Ilhéus, Una e Buerarema, região sul do estado, na qual habitam mais de 4,6 mil indígenas.

A região vive atualmente em conflito fundiário. Devido ao confrontos, Babau já foi preso diversas vezes e teve sua vida ameaçada por defender os direitos dos povos indígenas locais.

A perseguição ao cacique ganhou a atenção de organizações mundiais de direitos humanos, as quais solicitaram ao governo brasileiro medidas efetivas de proteção ao líder indígena.

Em 2018, Babau foi condecorado também com a Comenda Dois de Julho, da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), em reconhecimento por sua luta em defesa dos direitos dos povos indígenas.

Veja também:

– Reportagem especial
Cacique Babau: cientista da resistência, devoto dos saberes ancestrais e patrono do direito à terra

– Podcast Fala, Balbúrdia!
Ciência da Resistência: a trajetória do cacique Babau e a luta pelo direito à terra
Spotify
Deezer
Google Podcast

Fotos: prints da TV UNEB, Ascom e acervo pessoal.