23

abr

Repórter: Danilo Cordeiro/Ascom   |   Postado por: Danilo Oliveira às 19:32 hrs

UNEB consolida avanços e conquista Conceito 4 no Índice Geral de Cursos do Inep/MEC

A UNEB conquistou 2,994 pontos, o que equivale ao Conceito 4, no Índice Geral de Cursos (IGC) 2019. O resultado foi divulgado hoje (23), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC).

A pontuação consolida a tendência de crescimento dos indicadores da universidade (veja gráfico abaixo). Na mensuração anterior, a instituição registrou 2,910 pontos, possuindo, até então, Conceito 3.

“A partir de 2014, tivemos um avanço contínuo nos indicadores do IGC. Isso demonstra os resultados dos esforços institucionais para desempenhar, aperfeiçoar e melhorar os seus serviços, qualificando suas ações acadêmicas para os seus públicos. É uma grande satisfação para todos nós da comunidade acadêmica”, destaca o secretário especial de Avaliação Institucional (Seavi) da UNEB, Ivan Novaes.

Na edição de 2019, o IGC avaliou 2.070 instituições em todo país, considerando 24.145 cursos, analisados entre 2017 e 2019. Segundo o Inep/MEC, os estados da Bahia e do Ceará são os que mais atingiram as faixas 4 e 5 do indicador, na região Nordeste.

“Entendemos este resultado como o fruto de um trabalho intersetorial da UNEB, na busca pela melhoria da qualidade de nossas ações universitárias. Os aprimoramentos dos currículos dos nossos cursos de Graduação e o investimento na infraestrutura necessária ao seu pleno desenvolvimento certamente contribuíram para a obtenção desse resultado”, ressalta a pró-reitora de Ensino de Graduação da instituição, Eliene Maria da Silva.

O Índice Geral de Cursos é uma média ponderada da avaliação da Graduação por meio do Conceito Preliminar de Curso (CPC) e dos cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu (mestrado e doutorado). A escala vai de 1 a 5. Nela, 1 e 2 são avaliações consideradas insatisfatórias, 3 é regular, e 4 e 5 são satisfatórias.

“Em tempos tão difíceis marcados pelo desinvestimento na Ciência e agravados pelo contexto da pandemia, a nota 4 é um sinal de bons ventos que sopram as velas içadas de nossa Universidade”, conclui a pró-reitora de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG) da instituição, Márcea Sales.

Imagem (home): Arte de Marina Marques/Ascom