06

out

Autor: Núcleo de Jornalismo/Ascom   |   Postado por: Wânia Dias às 20:39 hrs

UNEB divulga resultado da pesquisa institucional; Consu aprova retorno remoto das atividades

Conselho Universitário, instância máxima deliberativa da UNEB, realizou reunião remota, transmitida ao vivo pela internet

O Conselho Universitário (Consu) da UNEB aprovou o retorno das atividades acadêmicas de graduação e manutenção das atividades administrativas de forma remota.

A deliberação ocorreu após a análise dos resultados da Pesquisa UNEB 2020: Nós por Nós, divulgados nesta terça-feira (6).

Instância máxima deliberativa da universidade, o Consu reuniu-se mais uma vez remotamente, via aplicativo Microsoft Teams, contando com a participação de 51 conselheiros; a sessão foi transmitida ao vivo pelo canal da TV UNEB no YouTube.

A pesquisa, realizada entre os dias 20 de agosto e 18 de setembro, teve como objetivo construir dados que subsidiem estudos e proposições da administração universitária para suas atividades finalísticas até que exista condição segura para retorno presencial, frente à pandemia do novo coronavírus.

Participaram da pesquisa 1.741 docentes (84,2%), 14.512 estudantes (77,1%), 945 técnicos administrativos (77,1%) e 606 profissionais terceirizados. Com esses números, a universidade ultrapassou a meta de 75% de adesão da comunidade acadêmica à consulta.

A pesquisa apresentou questões sobre as condições físicas, mentais e sociais dos integrantes da comunidade, sobre conectividade, disponibilidade de aparelhos e propostas para o futuro próximo das atividades acadêmicas e administrativas na universidade.

“A participação massiva da comunidade acadêmica na pesquisa reforça a implicação de todos e todas na construção coletiva das iniciativas estratégicas que irão alicerçar as ações da nossa universidade durante e após a pandemia. Os dados colhidos representam a diversidade de experiências e demandas de cada público da UNEB, garantindo que as políticas acadêmicas, de ações afirmativas e de assistência estudantil da universidade sejam produzidas de forma contextualizada”, destacou o reitor da UNEB, professor José Bites de Carvalho.

Resultados apontam viabilidade do ensino mediado por tecnologia

De acordo com os dados coletados, a maioria dos estudantes (65%) e dos professores (62%) afirmou que deseja retornar às atividades de ensino mediadas por tecnologia. Já para 62% dos técnicos administrativos e 52% dos profissionais terceirizados, a universidade deve aguardar o fim da pandemia para retornar as atividades de forma presencial.

Quando consultados sobre a posse de equipamentos tecnológicos com capacidade de conexão, 99% dos estudantes, 98% dos professores, 98,3% dos técnicos administrativos e 98% dos terceirizados responderam afirmativamente.

Outros dois pontos da pesquisa se destacam: Possibilidade de executar programas e aplicativos para desenvolvimento de suas respectivas atividades e Fácil acesso à internet em casa. Para a primeira pergunta 60% dos estudantes, 65% dos professores, 59% dos técnicos e 66% dos terceirizados afirmaram ter meios para executar os programas e aplicativos que permitam realizar as suas atividades remotamente.

Já para a segunda questão, 89% dos estudantes, 96% dos docentes, 90% dos técnicos e 89% dos terceirizados afirmam que possuem acesso à internet em casa.

“Os indicadores da pesquisa apontam para a viabilidade social e técnica do retorno remoto das atividades acadêmicas e administrativas. Todas as medidas e investimentos necessários já estão sendo empenhados para garantir essa retomada de forma inclusiva e de qualitativa”, frisou Bites.

Plano de investimentos

A partir da análise dos dados, a universidade construiu um plano de investimento para o desenvolvimento de atividades acadêmicas e administrativas remotas, que será executado em parceria com o governo do estado.

No quesito conectividade, haverá investimentos na aquisição e aluguel de equipamentos, contratação de dados móveis e na criação da bolsa conectividade para os estudantes.

Para o campo da infraestrutura tecnológica, está prevista a implantação de um ambiente para atividades acadêmicas remotas e EaD, a atualização da Plataforma Moodle, a aquisição de equipamentos para adaptação ao trabalho virtual home office e nas dependências da instituição, além da implementação da biblioteca virtual.

O plano prevê ainda a implantação do Programa Interno de Apoio à EaD, criado pelo Consu no último dia 30 de setembro.

Início das atividades remotas

A partir da análise descritiva da pesquisa, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) irá deliberar sobre os encaminhamentos acadêmicos.

De acordo com o reitor José Bites, o Consepe irá definir a estrutura de oferta do ensino remoto, como calendário acadêmico e componentes curriculares.

“Só após o parecer do Consepe será possível estabelecer prazos definitivos para o início das atividades de graduação com mediação tecnológica. Porém, nossa estimativa é que em três semanas as aulas já sejam iniciadas”, destacou o reitor.

Confira a íntegra do resultado descritivo.

 Foto (print): Núcleo de Jornalismo/Ascom.