20

mar

Repórter: Danilo Oliveira/Ascom   |   Postado por: Danilo Oliveira às 20:51 hrs

Profissionais do Programa de Residência da UNEB mantêm atividades frente à pandemia do COVID-19

Coordenador do programa, Magno Merces esteve, com outros docentes, junto aos profissionais em seus locais de atuação

Os profissionais do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da UNEB continuam a ofertar seus serviços para diversos dispositivos da rede de Saúde de Salvador frente à pandemia do novo Coronavírus (COVID-19).

Atividades como atendimentos ambulatoriais e cuidados a pacientes críticos estão mantidas, assim como a participação nas ações estratégicas junto às Diretorias de Vigilância Epidemiológica (Divep) e de Atenção Básica (DAB) do Estado da Bahia.

Têm continuidade ainda as ações da área de educação vinculadas às Unidades de Saúde da Família e Centro de Atenção Psicossocial (Caps) da cidade.

De acordo com o professor da UNEB Magno Merces, coordenador do programa, o momento crítico sanitário funciona como uma convocação, sobretudo, para os profissionais da área, independente da natureza de sua ocupação.

“Nós, representantes da Saúde, devemos, mais do que qualquer um, praticar o sentido das palavras humanização e cuidado, que tanto proferimos”, destacou o pesquisador.

O coordenador salientou ainda que esteve ontem (19), com outros docentes, junto aos profissionais do programa em seus locais de atuação, para manifestar apoio, planejar ações e discutir medidas de autocuidado.

Desafio aceito!

Os 78 residentes do programa da UNEB estão distribuídos entre os Hospitais Geral Roberto Santos (HGRS), Geral do Estado (HGE), Santa Izabel e Aristides Maltez, as Unidades de Saúde da Família e do Caps, a Dipev e as Diretorias Estaduais de Atenção Básica e de Gestão do Cuidado.

Isabela dos Santos: “Posso, efetivamente, com o meu trabalho, fazer a diferença”

“Apesar de temer o COVID-19, por estar exposta diariamente aos riscos, penso que passar por isso me trará uma grande experiência profissional, sobretudo, porque posso, efetivamente, com o meu trabalho, fazer a diferença na vida dos pacientes”, afirmou a fisioterapeuta Isabela Cristina dos Santos.

O Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da UNEB, criado em 2006 no Departamento de Ciências da Vida (DCV) do Campus de Salvador, conta com profissionais das áreas de Enfermagem, Fisioterapia, Psicologia, Serviço Social, Nutrição, Fonoaudiologia, Farmácia e Odontologia.

Com suas atividades diretamente impactadas pelo crescente temor da população baiana com a COVID-19, o psicólogo João Batista Alves também aceitou o desafio, que acredita estar posto a todo o povo brasileiro.

João Batista: “Momento que evidencia os limites impostos pelo nosso contexto de desigualdades”

“Este é um momento que evidencia os limites impostos pelo nosso contexto de desigualdades, mas que também nos convoca para um posicionamento mais firme em defesa do direito à Saúde, do SUS [Sistema Único de Saúde] e da democracia”, ressaltou o profissional.

Ainda segundo João, ser profissional residente nessa situação demanda “lidar com tudo isso, com a consciência de que as nossas ações de cuidado na ponta dos serviços se articulam a um conjunto muito mais amplo de ações e enfrentamentos, que fazemos em outros âmbitos da sociedade”.

Respeito ao juramento

Além da convocação realizada pelo Ministério da Saúde, os profissionais da área foram também recomendados a continuarem suas ações pela comissão específica da UNEB, que possui a finalidade de acompanhar e orientar as condutas da universidade diante da nova pandemia.

Todos os esforços institucionais serviram apenas como uma confirmação para o fonoaudiólogo Anderson Fernandes, que já tinha orientado a manutenção das suas atividades pelo juramento que fez quando concluiu a sua graduação.

Anderson Fernandes: “Esperança de que teremos êxito. Juntos somos mais fortes”

“Quando formei, realizei um juramento que, dentre algumas palavras, expressava a dedicação de meu trabalho à humanidade, utilizando o domínio desta ciência em todas as suas formas de expressão, prevenindo, orientando e tratando todos aqueles que o necessitarem”, explicou.

O profissional frisou ainda que o cenário mundial não deve amedrontar os profissionais de Saúde: “Isso não nos intimida, pelo contrário, nos serve de aprendizado e também nos traz a esperança de que teremos êxito no combate dessa pandemia. Juntos somos mais fortes”.

A formação dos profissionais residentes da universidade conta com carga total de 5.760 horas-aula, sendo 1.152 horas de atividades teóricas e teórico-práticas e 4.608 horas de estágio/trabalho nos campos de prática.

O Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da UNEB, referenciado pelo Ministério da Saúde, orienta-se pelos princípios e diretrizes do SUS e pela Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PNEPS) e pela Política de Humanização.

Dentre os seus objetivos, destaca-se a busca por uma formação profissional crítica e reflexiva, considerando a indissociabilidade entre ensino, pesquisa, assistência e gestão, bem como a interdisciplinaridade, multiprofissionalidade e interprofissionalidade.

Fotos: Arquivos Pessoais do professor Magno Merces e dos profissionais residentes