20

dez

Autor: Leandro Pessoa, Núcleo de Jornalismo/Ascom   |   Postado por: Wânia Dias às 13:25 hrs

UNEB recebe escultura da CowParade Brasil; peça está em exposição no Campus de Salvador

A UNEB recebeu, na última quinta-feira (19), no Campus I da universidade, em Salvador, uma das esculturas que integram a 13ª edição da CowParade, uma exposição de arte pública internacional apresentada nas principais cidades do mundo.

A nova edição do projeto chegou a Salvador espalhando pela cidade vacas de fibra que ganharam a expressão de 60 artistas visuais locais.

A escultura é uma homenagem a Florinda Santos, “A Mulher de Roxo”.

A UNEB participa desta que é uma das maiores intervenções de arte urbana do mundo, recepcionando a “Vaca Roxinha Urbana”, do artista Denis Sena. A peça ficará em exposição, no Campus I da UNEB, por três meses.

A partir do uso da técnica de spray, Denis fez uma homenagem a Florinda Santos, “A Mulher de Roxo” – moradora em situação de rua que circulou misteriosamente pelo Centro Antigo de Salvador por décadas até falecer em 1997. “Ela foi uma personagem das ruas e a obra é uma forma de lembrá-la naquele que foi seu espaço de vida”, declarou Denis.

A CowParade surgiu em 1998 a partir da ideia do artista suíço Pascal Knapp que, em um evento, apresentou a outros artistas visuais a vaca como o modelo ideal para expressão da arte em uma tela tridimensional. O conceito se une a outras construções do imaginário, como a sacralização da vaca na Índia e a sua aparição nas artes ilustrando uma capa de álbum da banda Pink Floyd.

A “vaca artística” se espalhou pelo mundo através do advogado Jerry Elbaum que, encantado pela proposta, comprou os direitos da exposição e fundou nos Estados Unidos a CowParade Holding. Desde então 97 exposições já foram realizadas em 33 países, totalizando cerca de 500 milhões de espectadores.

“Foi uma realização pessoal participar da Cowparade, tive de estudar o formato para vencer os desafios de pintar em um suporte tridimensional que é mundialmente reconhecido”, declarou Denis.  Foi o próprio Denis quem sugeriu trazer a sua “vaca artística” também para a UNEB, depois que ela ficou em exposição no Relógio de São Pedro e no Shopping da Bahia. Morador do Cabula, ele tem uma relação antiga com a Universidade, tendo participado do projeto de extensão Grafipaz, de oficinas de serigrafia e de campanhas visuais da instituição.