10

out

Autor: Danilo Cordeiro, Núcleo de Jornalismo/Ascom   |   Postado por: Wânia Dias às 15:33 hrs

Encontro reúne professores e pesquisadores em extensa programação sobre Direitos Humanos, leitura e literatura

A sexta edição do Elluneb abordou o tema Direitos humanos, leitura e literatura: criar, existir e resistir

Pesquisadores e professores da educação básica e superior participaram do 6º Encontro de Leitura e Literatura da UNEB (Elluneb), realizado entre os dias 8 e 10 de outubro, no teatro da universidade, no Campus I, em Salvador.

O evento teve como objetivo dialogar com pesquisadores que trabalham com a formação continuada do professor, oportunizando a reflexão sobre o lugar da literatura na constituição do leitor, sobre as práticas culturais de leitura a partir de diferentes perspectivas teórico-metodológicas, em diferentes espaços socioculturais e midiáticos.

Mediada pela professora da UNEB, Andréa Betânia da Silva, a conferência de abertura do evento, intitulada Oralidade e Memória, foi proferida pelo repentista e cordelista, Bule-Bule. Com mais de 50 anos de carreira, o artista revelou ser um observador da arte.

Verbena Cordeiro (centro), ex coordenadora do Elluneb, foi homenageada no evento

“Eu fui para escola com quase cinco anos de idade. Aos sete, ao lado dos meus pais, já lia e seguia o catecismo. Há 52 anos canto e rezo. Me aceitaram como um poeta popular, mas não me considero como tal. É o carinho do público que me intitulou como um poeta”, destacou Antônio Ribeiro da Conceição, seu nome de batismo. Na oportunidade, Bule-Bule cantou um de seus famosos repentes “Samba que não tem viola”.

Participaram da mesa de abertura do evento o vice-reitor da UNEB, professor Marcelo Ávila, e as pró-reitoras de Extensão (Proex) e Ações Afirmativas (Proaf), professoras Adriana Marmori e Amélia Maraux, respectivamente.

“É sempre uma alegria participar de eventos como este, que tecem relações próximas entre a academia e a educação básica”, ressaltou o vice-reitor, professor Marcelo Ávila.

Direitos humanos, leitura e literatura

Essa edição do encontro, coordenado pelo professora Luciana Moreno, abordou o tema Direitos humanos, leitura e literatura: criar, existir e resistir.

“Neste momento, a universidade e o povo brasileiro sentem-se ameaçados com os ataques aos Direitos Humanos. Entendemos que a literatura está incluída dentro deste contexto e, através do Elluneb, criamos estratégias para enfrentamento desse cenário atual”, frisou a coordenadora.

Raquel: Aprendemos muito e vamos levar esse conhecimento para nossa prática profissional

Também participaram da iniciativa, a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens (PPGEL), professora Márcia Rios, o chefe de gabinete da Fundação Pedro Calmon, Igor Galvão, e a homenageada do evento, professora Verbena Cordeiro.

“Considero o Elluneb como um filho bem criado, que mantém o compromisso com a leitura literária, dialogando com diversas formas de crenças e valores”, declarou, emocionada, a professora Verbena Cordeiro, ex-coordenadora do Elluneb.

Espaço de troca de experiência

A sexta edição do Elluneb oportunizou a troca de experiências e conhecimentos entre os pesquisadores e professores da educação superior e básica.

A professora de filosofia e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Gestão e Tecnologia Aplicadas à Educação (Gestec) da UNEB, Raquel dos Anjos, salientou a importância de participar do evento. “Aprendemos com as oficinas e palestras, trocamos informações com outros professores e podemos levar esse conhecimento para nossa prática profissional”.

A programação contou ainda com a conferência intitulada Poesia, Psicanálise e Imaginário, ministrada pela escritora Roseana Murray, além de palestras, oficinas e mesas de debate sobre temas como Gênero sexualidades, Leitura e literatura nas redes.

Fotos: Cindi Rios/Ascom