24

mai

Autor: Toni Vasconcelos / Ascom   |   Postado por: Toni Vasconcelos às 12:11 hrs

Encontro nacional de pró-reitores de pesquisa e pós-graduação discute fomento, bolsas, avaliação e parcerias

Reitor José Bites e pró-reitora Tânia Hetkowski, durante abertura, recepcionaram gestores e convidados. Fotos: Divulgação

Debater políticas de fomento e avaliação da pesquisa, pós-graduação e inovação e seus impactos nas regiões e no país, compartilhar experiências de gestão e aproximar as universidades das agências de fomento e de avaliação nacionais e estaduais.

Com esses objetivos em pauta, realizou-se, ontem e hoje (23 e 24), o Encontro Nacional do Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação das Universidades Estaduais e Municipais (Enprop), no Parque Tecnológico da Bahia, em Salvador.

A UNEB, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG), foi responsável pela organização do evento e acolhimento dos participantes, com o apoio das demais universidades estaduais baianas.

A mesa de abertura, presidida pelo reitor da UNEB, José Bites de Carvalho, teve a participação da pró-reitora Tânia Maria Hetkowski (PPG/UNEB), coordenadora local do encontro, e da coordenadora do segmento das estaduais e municipais, Maria Jose da Silva, além do reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), Luiz Otávio de Magalhães.

O reitor José Bites parabenizou os presentes pela iniciativa do encontro, destacando a enorme relevância da pesquisa, da pós-graduação e inovação nas universidades públicas brasileiras – que vivem um “cenário atual adverso, no qual a importância dessas instituições está sendo colocada em cheque” – no sentido de colaborarem no desenvolvimento social e na melhoria da condição de vida da população.

Lembrando o pioneirismo da UNEB na adoção do sistema de cotas sociorraciais no país, o reitor salientou que as cotas “permitiram que a pesquisa e a pós-graduação, por meio dos cursos de mestrado e doutorado, também fossem uma instância permeável da universidade, possibilitando a todos, independentemente de sua origem e poder econômico, o acesso aos cursos stricto sensu.

“A democratização do fazer científico, mediante as ações de pesquisa e de ensino de pós-graduação ao alcance de todos, consiste em um valor fundamental para que nossas universidades públicas se reconheçam e sejam reconhecidas como instâncias populares”, disse Bites.

A pró-reitora Tânia Hetkowski salientou a satisfação da equipe da UNEB e dos parceiros em estar recepcionado um evento nacional dessa dimensão.

“Nossa universidade vem investindo fortemente na interiorização dos programas de stricto sensu na Bahia, assim como no acesso à pesquisa e à inovação. Essa é umas das prioridades da atual gestão da UNEB”, afirmou a pró-reitora.

A programação do Enprop 2019 trouxe ao debate temas como avaliação multidimensional, com palestra da diretora de avaliação da Capes/MEC, Sônia Nair Báo; programas de fomento e bolsa no país, com palestra da diretora de programas e bolsas da Capes, Zena da Silva Martins; parcerias entre as fundações de apoio à pesquisa e órgãos de fomento federais, com palestra do presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Evaldo Ferreira Vilela; e planejamento estratégico e autoavaliação da pós-graduação, com palestra do pró-reitor de Pós-Graduação da Universidade Estadual de Monte Claros (Unimontes), André Sena Guimarães.