22

mai

Repórter: Toni Vasconcelos   |   Postado por: Toni Vasconcelos às 19:04 hrs

PROGRAD: gestão acadêmica e qualificação dos cursos avançam na universidade

A Assessoria de Comunicação (Ascom) da UNEB inicia, com esta matéria, a série Ação Universitária, que vai apresentar as principais iniciativas e projetos desenvolvidos pelos setores da administração central da instituição nos últimos três anos. O que está nos planos de trabalho e as perspectivas para 2017 também serão pauta da série, que começa agora com a Prograd. Acompanhe.

——————-

Duas grandes metas vêm priorizando as atividades da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Prograd) na atual gestão da UNEB: o aprimoramento da gestão acadêmica e a qualificação dos cursos. Mais que um trabalho complexo, são um desafio de dimensões continentais.

“Nossa universidade, por seu perfil de multicampia, presente em quase todo o estado, e pela diversidade de seus cursos, tem demandas bem diversas. Temos cursos antigos, já consolidados, e cursos recentes, em áreas em que a instituição não possui tradição, experiência. Também oferecemos cursos em todas as áreas de formação – a única que faltava, a de Artes, o Conselho Universitário (Consu) acabou de aprovar o curso de Teatro. As necessidades de cada curso tornam-se, assim, bem diferentes, inclusive em relação à disponibilidade de corpo docente nos campi do interior. Tudo isso é um grande desafio que estamos enfrentando e, dentro das nossas possibilidades, atendendo”, avalia a pró-reitora Kathia Sales (Prograd).

Justamente para assegurar a qualidade e sustentabilidade dos cursos, a gestão aprovou, junto aos Conselhos Superiores da instituição, a criação de poucos cursos novos de graduação nos últimos anos.

“Temos extrema responsabilidade ao propor ou defender a implantação de novos cursos, para evitar sérios problemas e prejuízos na formação dos alunos no futuro”, diz a gestora.

Recentemente aprovadas, as licenciaturas em Teatro, do DEDC do Campus VII (Senhor do Bonfim), e em Física, do Departamento de Ciências Exatas e da Terra (DCET) do Campus I, já foram ofertadas para ingresso este ano. “No caso desses cursos, é importante observar que foram verificadas as condições preexistentes que favorecem a sua implantação, como a presença de docentes da área e de laboratórios”, salienta a pró-reitora.

Articulação e curricularização

Os cursos de graduação criados na gestão atual buscam sempre atender demandas institucionais de interesses sociais e regionais.

“Em diálogo permanente com os departamentos, a Prograd estimula essa articulação dos cursos com a sociedade e com os territórios de identidade onde estão inseridos. Propomos isso nas discussões dos currículos e portfólio dos cursos, no redimensionamento curricular e na curricularização da extensão, entre outras ações”, salienta Kathia.

A nova licenciatura em Física, por exemplo, vem atender a carência de professores da área nas redes públicas de educação básica estadual e municipais. Já a licenciatura em Teatro figura como primeiro curso superior da universidade na área de Artes, a fim de consolidar essa área na UNEB e a própria atuação da instituição nesse campo do saber.

Outro exemplo é o novo curso de Administração na modalidade semipresencial do Campus III (Juazeiro), que também tem perfil voltado para o desenvolvimento regional sustentável e a gestão de cidades. “Esse curso é mais uma iniciativa pioneira da UNEB, porque é o primeiro curso de oferta regular contínua na modalidade de educação a distância (EaD) implantado na Bahia e um dos raros no Brasil”, enfatiza a pró-reitora.

O tema da articulação e curricularização da extensão tem sido pauta constante nos eventos da Prograd, em diálogo com a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e com os colegiados de curso.

“A curricularização da extensão é uma exigência do PNE (Plano Nacional de Educação). Criamos uma comissão em 2016, da Prograd e Proex, para elaborar uma proposição de regulamentação desse tema, que será socializada com os colegiados e departamentos e, depois, encaminhada para apreciação dos Conselhos Superiores da UNEB”, conta a gestora.

Reconhecimento e redimensionamento

Outro amplo esforço que vem sendo realizado pela gestão universitária diz respeito ao reconhecimento dos cursos de graduação. O reconhecimento pelo Conselho Estadual de Educação (CEE-BA) é uma exigência legal que autoriza a universidade a emitir os diplomas de conclusão de curso, entre outros procedimentos.

A Prograd tem garantido que a totalidade dos cursos de oferta contínua da universidade estejam em situação regular e atualizada em seus processos de reconhecimento ou de renovação de reconhecimento junto ao CEE, dando continuidade ao trabalho desenvolvido pela pró-reitoria na gestão anterior.

Também todos os cursos na modalidade EaD da instituição estão com seus projetos protocolados no órgãos estadual – três desses cursos já foram reconhecidos pelo CEE: as licenciaturas em Matemática, em História e em Química.

“Quando esta gestão começou, em 2014, havia um passivo enorme de registros acadêmicos e regularização de funcionamento dos cursos EaD, impedindo de os alunos se formarem ou receberem o diploma. Muitos cursos não tinham nem projetos pedagógicos aprovados internamente na universidade. Em um trabalho articulado com os departamentos e colegiados, temos avançado muito nisso”, conta Kathia. 

A pró-reitora cita ainda a recente implantação do novo Sistema de Registros, Diplomas e Certificados (SRDC) da UNEB, que está agilizando esses processos acadêmicos, como a informatização dos procedimentos. 

A gestão também está atuando sistematicamente na complexa seara do redimensionamento curricular, promovendo vários encontros acadêmicos gerais e por área de formação, envolvendo todos os cursos de graduação, para construir esses processos junto com os colegiados e departamentos.

“Devido à nossa multicampia e às especificidades de cada departamento e curso, esse trabalho ganha complexidade bem maior na UNEB. Temos vários colegiados de um mesmo curso: por exemplo, 16 de Letras vernáculas, 12 de Pedagogia e nove de História. Construir uma unidade nesse contexto exige muito diálogo”, afirma a gestora.

Segundo Kathia, todos os currículos de curso da UNEB já estão em processo de discussão visando o redimensionamento. “Esperamos concluir a maior parte desses processos ainda este ano. Nos casos de vários colegiados de um mesmo curso, defendemos sempre a unidade com flexibilidade, ou seja, um desenho curricular comum, mas que contemple as diferenças locais e territoriais”, explica.

O redimensionamento curricular objetiva atender alterações nas legislações nacionais e a necessidade permanente de avaliação e atualização dos cursos, incluindo mudanças nos perfis profissiográficos.

Estágio, bolsas, calendário

A gestão está empenhada também no acompanhamento e fortalecimentos das atividades de estágio curricular, incluindo a atualização do regulamento de estágio dos cursos de graduação da UNEB.

Para esse fim, a Prograd reativou a Coordenação Central de Estágio e retomou a periodicidade regular dos grandes eventos que tratam do tema.

“No ano passado conseguimos realizar o Encontro de Estágio da UNEB, com ampla participação de docentes da capital e do interior do estado. E a edição de 2017 já está agendada para o período de 19 a 21 de julho”, antecipa Kathia Sales.

As principais metas da Prograd nesse campo de trabalho são a atualização do Regulamento Geral de Estágio e a regulamentação de estágio em situações específicas, como a dos Núcleos de Práticas Jurídicas (NPJs) dos cursos de Direito e do Internato do curso de Medicina da universidade.

A gestão atuou ainda na valorização das bolsas de monitoria de ensino, elevando o valor da bolsa mensal para R$ 400, equiparando-o ao da bolsa de pesquisa na instituição. Essa ação é relevante para consolidar o objetivo acadêmico da monitoria de ensino, que funciona como atividade complementar dos cursos de graduação, proporcionando maior interação entre docentes e discentes e entre teoria e prática nos processos formativos.

Outra área que tem demandado constante ação da pró-reitoria é a do calendário acadêmico. “Nos últimos semestres letivos, por conta de paralisações e outras ocorrências, a gestão tem trabalhado intensamente, em aberto diálogo democrático com os diversos segmentos da comunidade acadêmica, nas adequações do calendário acadêmico, sempre buscando evitar ou minimizar prejuízos para as atividades acadêmicas e os estudantes”, destaca Kathia.

Laboratórios e mobilidade discente

A estruturação e manutenção dos laboratórios de ensino são da alçada dos respectivos departamentos. Entretanto, considerando as limitações orçamentárias das unidades acadêmicas, a gestão criou o Programa de Apoio aos Laboratórios de Ensino da UNEB (Prolab), visando contribuir nesse esforço de manutenção e na expansão desses equipamentos tão relevantes para a formação do estudante de graduação.

Contando com recursos da Prograd e da Unidade de Desenvolvimento Organizacional (UDO) da universidade, o programa destinou, em seu primeiro edital, publicado em outubro do ano passado, um montante de R$ 1 milhão para custear despesas com aquisição de aparelhos e softwares educacionais e para manutenção dos laboratórios.

Dos mais de 80 projetos classificados, 24 foram contemplados nessa edição inaugural do Prolab, beneficiando laboratórios de diversos departamentos e campi.

Cada projeto recebe até R$ 50 mil, recurso que é repassado diretamente para o professor pesquisador, facilitando o processo burocrático e permitindo maior flexibilidade no gerenciamento.

“Esse edital teve forte repercussão positiva na comunidade acadêmica. E já estamos avaliando algumas modificações nas próximas edições do programa, com o intuito de atender cursos recém-implantados, por exemplo”, adianta a pró-reitora.

Ainda no campo da qualificação dos cursos e da formação na graduação, a UNEB vem tendo especial protagonismo na articulação de uma rede de mobilidade discente entre as instituições públicas de ensino superior estaduais e federais na Bahia, que já se estende para Pernambuco.

“Somos a única instituição que tem presença em praticamente todo o estado. E isso nos favorece na articulação dessa rede interinstitucional”, diz Kathia.

A parceria em prol da mobilidade estudantil, capitaneada pela UNEB, envolve as outras três universidades estaduais baianas (Uefs, Uesc e Uesb) e as universidades federais da (Ufba), do Recôncavo da Bahia (Ufrb), do Oeste da Bahia (Ufob), do Sul da Bahia (Ufsb) e do Vale do São Francisco (Univasf), ofertando centenas de vagas para os discentes em vários cursos.

“Essa rede tem crescido tanto que já está tendo desdobramentos. Por exemplo, estamos discutindo com a Ufba um convênio para mobilidade discente na pós-graduação. E pró-reitorias de Extensão estão empenhados em construir uma parceria de mobilidade na extensão”, antecipa a gestora.

Os acordos de mobilidade estudantil promovem o contato direto do discente com a diversidade da cultura acadêmica das instituições conveniadas, favorecendo a ampliação de sua vivência sociocultural e possibilitando o acesso a componentes curriculares para a integralização curricular.

A rede de mobilidade objetiva também diversificar a aprendizagem e a formação dos discentes, além de ampliar as parcerias e processos de construção do conhecimento entre instituições.

Agenda, projetos e perspectivas

A Prograd tem muito a fazer ainda este ano. A agenda de eventos 2017 mira especialmente a formação de coordenadores de colegiado.

“Esse investimento na formação de coordenadores é uma ação permanente da gestão. Precisa ser contínuo, até porque os gestores de colegiado concluem os mandatos a cada dois anos”, explica Kathia Sales.

Os encontros de formação, assinala a pró-reitora, são muito importantes também para aproximação desses gestores entre si e da administração central da universidade, promovendo a troca de experiências e o diálogo.

Agora mesmo, em abril, a Prograd realizou o X Encontro de Formação dos Coordenadores de Colegiado (EnFoCo), em Salvador, abordando o tem A gestão dos projetos político-pedagógicos e o desenvolvimento curricular

Entre o final de maio e começo de junho, estão previstos a segunda edição do Encontro de Estágio da UNEB, que vai pautar a atualização do regulamento de estágio, e o inédito Fórum de Licenciaturas da universidade.

“O Fórum de Licenciaturas, que será realizado pela primeira vez na universidade, terá dois temas principais na pauta: o redimensionamento curricular em meio à conjuntura atual do país e a sensibilização e formação dos coordenadores de colegiado para participação no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), que este ano será voltado para as licenciaturas”, conta a gestora.

No mês de agosto, a agenda da Prograd reserva a promoção o V Colóquio de Práticas Pedagógicas Inovadoras da instituição, que vai assegurar um espaço privilegiado de troca e aprofundamento dos saberes e práticas da docência universitária.

Para ampliar e consolidar o processo de formação na área, a gestão vai realizar, no próximo semestre, o primeiro Curso de Formação para Coordenador de Colegiado de Curso de Graduação da universidade. No formato de um curso de extensão na modalidade EaD, terá carga horária de 90 horas além dos encontros presenciais, envolvendo também os secretários de colegiado.

A Prograd planeja ainda, para este ano, operacionalizar os editais de mobilidade estudantil com as instituições parceiras, com acompanhamento e reedição dos convênios em vigência e a construção de novas acordos e editais.

“Outro tema importante da nossa agenda 2017 é promover uma ampla discussão acerca do formato dos processos seletivos de ingresso na graduação da UNEB. Uma proposta em avaliação é que a universidade passe a adotar a nota do candidato no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), sem necessidade de fazer prova, como ocorre com a seleção do Sistema de Seleção Unificada (Sisu/MEC). Como já adotaram outras instituições, esse formato proporciona maior flexibilidade ao calendário acadêmico da universidade, porque independe do cronograma do Sisu”, conclui a pró-reitora.

Imagem (home): Anderson Freire/Ascom