Histórico do Curso

Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos

1- A atuação da UNEB no Programa Estadual de apoio no desenvolvimento à educação de jovens e adultos:

O Programa Todos Pela Alfabetização nasceu com a meta do governo de alfabetizar um milhão de jovens, adultos e idosos das camadas mais carentes, até o final de 2010. Trabalha com a alfabetização sob a perspectiva de que esta é um direito do cidadão, e não prescreve com a idade. Além disso, tem como desafio assegurar que pelo menos 40% dos egressos do TOPA deem continuidade aos estudos.

O TOPA tem como objetivo a promoção de uma educação de qualidade para a população de jovens, adultos e idosos, assegurando seu ingresso e permanência na escola, criando as condições objetivas para a inclusão social, política, econômica e cultural desses sujeitos. A UNEB vem contribuindo desde o início do Programa com a formação desses jovens, adultos e idosos. Atualmente encontra-se em andamento e sendo concluída a 3ª etapa.

Dessa forma, a UNEB em consonância com sua vocação institucional, por intermédio da PROEX e do Núcleo de Educação de Jovens e Adultos (NEJA), reafirma a parceria com os Governos Federal, Estadual e Municipal atuando como Unidade Formadora no Programa TOPA -TODOS PELA ALFABETIZAÇÃO /Brasil Alfabetizado em todo o território baiano.

Nesse sentido, assume a Formação Inicial e Continuada dos Alfabetizadores, dos Coordenadores de Turmas e dos Tradutores Intérpretes de Libras, bem como o Acompanhamento das Ações do Programa em 79 municípios, conforme sua área de abrangência.

2- O Curso de Especialização em Educação Básica de Jovens e Adultos:

Um dos grandes desafios que se coloca para o desenvolvimento social é justamente a questão do analfabetismo, vez que o Estado da Bahia convive com altas taxas na faixa etária de 15 anos em diante, na ordem de 15,19% (IBGE/2010), fazendo-se necessário estabelecer parcerias entre governo e sociedade civil para o enfrentamento deste desafio, utilizando a ação alfabetizadora como uma das estratégias para articulação de políticas públicas que visem uma efetiva participação na sociedade na resolução deste grave problema.

Outro desafio é a carência de professores qualificados para atuar no segmento da EJA, existindo um significativo contingente de docentes sem nível superior lecionando em classes de educação fundamental. Diante destes desafios e sintonizada com as demandas e exigências sociais, a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), mediante o Departamento de Educação-Campus I vem investindo na formação de recursos humanos para atender ao segmento educacional que atende aos jovens, aos adultos e aos idosos, estando sempre na vanguarda das ações afirmativas para agregar propostas inovadoras nesta área.

Assim é que, durante o período de 1998 a 2003, foi oferecido, no Departamento de Educação do Campus I, um curso de especialização em educação básica de jovens e adultos para qualificar, preferencialmente, professores da rede pública que atuassem na modalidade da EJA.

Houve uma extensão deste curso sendo oferecida uma turma no Departamento de Filosofia de Juazeiro, em 1998. A proposta de especialização foi implantada na UNEB mediante convênio com a CADCT, com recursos da CAPES, no bojo do Projeto Nordeste. Este curso propunha, dentre outros objetivos, “analisar criticamente as tendências atuais e as inovações pedagógicas na área de educação básica de jovens e adultos, possibilitando aos alunos uma ampla compreensão acerca dos problemas, limitações e dificuldades existentes no campo desta modalidade educativa” (DANTAS, 1998).

Esta proposta na área da educação de jovens e adultos oportunizava para os professores /cursistas espaços para o enriquecimento cultural, científico, histórico, ampliação de conhecimentos e troca de saberes, indo ao encontro de aspirações profissionais deste coletivo. O curso conseguiu colocar no mercado de trabalho 429 profissionais especializados no campo da EJA com potencial para atuar na gestão, na docência, na pesquisa e na extensão. Gerou grupos de pesquisa no departamento, fomentou trabalhos de extensão, incentivou a realização de seminários e encontros anuais e aumentou a produção de dissertações de Mestrado sobre a temática da educação de jovens e adultos.

Obteve-se, com este curso, um grande impacto na educação pública, haja vista a repercussão e o sucesso obtidos no decorrer desta experiência, tanto em Salvador (com dez turmas) como em Juazeiro (com uma turma), com uma carga horária de 510 horas de trabalho presencial, como ainda, face à sua proposta curricular desafiadora e à dinâmica empregada (mediante módulos) no desenvolvimento do curso.

Esta proposta educativa foi apresentada e discutida em Bolonha, na Itália, no II Fórum Internacional Paulo Freire, sobre a temática “A alfabetização segundo Paulo Freire: novas tecnologias e desenvolvimento sustentável”, promovido pela Faculdade de Ciência da Formação da Universidade de Bologna (Itália) e o Instituto Paulo Freire (Brasil/São Paulo), no período de 29 de março a 01 de abril de 2000, como uma experiência pioneira na Bahia, representativa dentre as propostas brasileiras para o campo da EJA. (TELLERI, 2002) e (DANTAS, 2002).

A experiência em EJA da Bahia foi objeto de uma publicação, de forma resumida, no Livro sob o título “IL Método Paulo Freire: nuove tecnologie e sviluppo sostenibile” e em CD, com ampla divulgação na Itália e no Brasil. Foi também apresentada no III Seminário Internacional do Programa Interlinkplus sob a temática “Saberes e Patrimônio Material e Imaterial: uma abordagem intercultural”, realizado pela UNEB e a Faculdade de Educação da Universidade de Firenze (Itália), gerando a produção de um livro com as conferências, palestras e comunicações apresentadas no evento. (NUNES et all. 2010) e (DANTAS, 2010).

Esta experiência vem servindo para nortear outras propostas educativas na área de EJA em nível do departamento, corrigindo equívocos, revendo posições, somando os êxitos e ampliando conhecimentos em busca de uma educação com melhor qualidade. A partir dessa referência e do impacto já produzido em todo Estado da Bahia, com 429 concluintes inseridos no mercado de trabalho, bem como por todo o conhecimento gerado sobre a questão através de grupos de pesquisa, trabalhos defendidos na graduação e pós-graduação – muitos destes resultando em reconhecidas publicações nacionais e internacionais – é que se propõe a criação do Mestrado Profissional em EJA, no Departamento de Educação- Campus I, considerando o compromisso dessa universidade com a Educação e, nela, com a formação profissional e a produção científica para além do cenário regional, consolidando-se enquanto uma instância de excelência acadêmica e de difusão do conhecimento.

A criação de um Mestrado Profissional em EJA na Bahia contempla, assim, uma demanda importante da educação brasileira, ou seja, a educação de jovens e adultos, até então muito discutida e analisada, mas que ainda apresenta poucas ações relativas a uma formação adequada do(a) profissional que atua(rá) nesse segmento. Nessa direção, o MPEJA pretende ser um espaço de qualificação e um lugar de formação continuada do(a) profissional da EJA, em que a relação teoria-prática terá um espaço de reflexão-ação sobre esta modalidade de ensino.

*Elaboração: Tânia Regina Dantas

*Colaboração: Docentes do Programa