Educação Física

DEDC - Campus Guanambi

Sobre o Curso

A legislação pertinente aos Cursos de Formação de Professores de Educação Física é a Resolução nº 03/87 do Conselho Federal de Educação. O currículo do Curso de Licenciatura Plena em Educação Física da UNEB foi elaborado tomando como referencial exatamente esta legislação.Historicamente, os exercícios físicos entraram na escola, através de uma prática chamada ginástica e algumas manifestações esportivas ou jogos institucionalizados. No Brasil, a ginástica sofreu forte influência militar, marcadamente com o método francês na escola.

A ênfase na ginástica serviu para tornar confuso o conceito de Educação Física, passando a ser comum identificá-la como sinônimo.

O desenvolvimento histórico impregnou-a, ainda mais, de valores que incidiram sobre o físico, seja no aspecto da saúde ou da superação do próprio rendimento, concretizando na escola uma prática amarrada a uma ideologia dos dons e aptidões.

Para este fazer prático, os currículos destes cursos contemplavam disciplinas práticas, em 60% em termos percentuais (aprende-se o que se deve ensinar nas escolas), acrescidos de disciplinas que abordavam conhecimentos fragmentados sobre o homem, quase todos no sentido biológico, fisiológico e biomecânico.

A partir dos anos 80, as análises críticas relativas à atual situação da Educação Física no país, tiveram um crescente impulso, movimento que induzia a transformação do papel do professor da área. Neste período, as críticas tornaram-se mais contundentes e os debates mais acirrados. Dessa discussão acumulada, surgiram numerosos trabalhos científicos, publicações acadêmicas, revistas e livros que revelaram o engajamento de um corpo consciente de profissionais que reivindicavam a transformação do papel do professor e da Educação Física, para atender às mudanças sociais que o contexto exigia.

O II Congresso Brasileiro de Esporte Para Todos, realizado em Belo Horizonte em 1984, e coordenado pela Federação Brasileira das Associações de Professores de Educação Física, produziu, como eixo norteador, A CARTA DE BELO HORIZONTE, um documento direcionado aos Cursos de Formação em Educação Física, representando um salto qualitativo nas discussões sobre currículo.

Com a reformulação curricular proposta pela Resolução nº 03/87 do Conselho Federal de Educação e a observância na referida “Carta”, possibilitou-se uma ampla discussão nacional, além de diferentes iniciativas institucionais. A introdução de conhecimentos da chamada área humanística, abriu novos horizontes sobre a realidade da dicotomia teoria e prática da Educação Física. A presença da Filosofia, na maioria dos currículos, foi um forte sinal de que a comunidade acadêmica desejava mudanças, e aí aconteceu um avanço significativo na estrutura curricular dos cursos de formação.

Apesar dos avanços que trouxe para o curso, esta Resolução não acompanhou a produção mais emergente do país, do ponto de vista acadêmico-científico, deixando assim uma lacuna, na medida em que determina áreas do conhecimento e disciplinas, tirando a autonomia e a possibilidade de alguns cursos alçarem novos vôos.

Atualmente, várias Universidades têm criado cursos e promovido reformas curriculares, algumas mais preocupadas com a chegada do terceiro milênio e dos acontecimentos pós-modernista. A UNEB é uma delas, e procura contornar as diretrizes estabelecidas, tentando fugir das amarras legais, sem ferir a Resolução, construindo um currículo mais versátil, “ousado” e, sobretudo, contemporâneo.

Para operacionalizar os objetivos propostos pelo curso de Educação Física, ministrado no Departamento de Educação do Campus XII, foram estabelecidas diretrizes, visando o salto qualitativo na formação e superação das contradições, pautadas na legislação em vigor, porém, pertinentes a um curso que pretende estabelecer-se qualitativamente. São elas: 

A quebra total da visão fragmentada de homem, tal qual existe hoje dentro dos cursos de Educação Física. É necessário a uma visão holística, que compreenda o homem como um ser indivisível. 

A superação de práticas pedagógicas, usualmente adotadas nos termos exclusivos de base positivista, substituindo-as por práticas produtivo-criativas, vinculadas à atividade social, que estimulam a aprendizagem significativa. 

A implementação de um modelo metodológico que contemple o estabelecimento de uma rotina didática, baseada na experimentação, por meio de atividades docentes, buscando eliminar a dicotomia teoria-prática. 

O estabelecimento de uma relação professor-aluno dialógica e comunicativa, de forma que permita um processo de decisão, execução e avaliação participativa e cooperativa, numa perspectiva de construção coletiva, como deve ser a produção de conhecimento na Universidade. 

A ruptura de uma visão idealista e abstrata de Educação/Educação Física, tendo como referência principal o processo de trabalho de intervenção sócio-pedagógica, como núcleo essencial da formação profissional. 

A concepção do currículo, não como uma simples agregação e listagem de disciplinas, mas como um conjunto articulado de atividades, que possibilitam a transmissão do conhecimento, através de variados procedimentos pedagógicos e acadêmicos, adequados a seus conteúdos.

As diretrizes enunciadas acima, traduzem a concepção teórico-filosófica, concepção esta, das mais avançadas, uma vez que se valeu não só da nova LDB, como também das produções mais recentes dos grandes centros de produção e elaboração do conhecimento. Servem, portanto, como eixo norteador da formação do profissional da área.

Duração do curso:8 (oito) semestres

Turno: Diurno.


Infraestrutura

Em construção.


Docentes

Ana Gabriela Alves Medeiros
Vinculação: Efetivo
Titulação: Mestrado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Auxiliar
amedeiros@uneb.br
Currículo Lattes

Berta Leni Costa Cardoso
Vinculação: Efetivo
Titulação: Doutorado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Assistente
bcardoso@uneb.br
Currículo Lattes

Claudio Bispo de Almeida
Vinculação: Efetivo
Titulação: Mestrado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Auxiliar
cbalmeida@uneb.br   
Currículo Lattes

Deyvis Nascimento Rodrigues
Vinculação: Substituto
Titulação: Especialização
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Auxiliar
dnrodrigues@uneb.br
Currículo Lattes

Fabio Fernandes Flores
Vinculação: Substituto
Titulação: Especialização
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Auxiliar
fafernandes@uneb.br
Currículo Lattes

Glaurea Nádia Borges de Oliveira
Vinculação: Efetivo
Titulação: Mestrado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Assistente
gnoliveira@uneb.br
Currículo Lattes

Jorge Adilson Gondim Pereira
Vinculação: Efetivo
Titulação: Mestrado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Assistente
japereira@uneb.br
Currículo Lattes

Marcius de Almeida Gomes
Vinculação: Efetivo
Titulação: Doutorado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Adjunto
magomes@uneb.br
Currículo Lattes

Margarete de Souza Conrado
Vinculação: Efetivo
Titulação: Doutorado
Regime de Trabalho: 
Classe Funcional: Adjunto
mconrado@uneb.br
Currículo Lattes

Mariângela Ribeiro dos Santos
Vinculação: Efetivo
Titulação: Mestrado
Regime de Trabalho: 20h
Classe Funcional: Assistente
marsantos@uneb.br
Currículo Lattes

Marília Freire
Vinculação: Efetivo
Titulação: Doutorado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Auxiliar
marfreire@uneb.br
Currículo Lattes

Marlon Messias Santana Cruz
Vinculação: Efetivo
Titulação: Mestrado
Regime de Trabalho: 40h
Classe Funcional: Auxiliar
mmscruz@uneb.br
Currículo Lattes

 


 

 

 

 

 

 


Colegiado

Coordenação

Nome
email@uneb.br:
(77) 3454 - 0000

Secretaria

Nome
email@uneb.br
(77) 3454 - 0000

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 14h às 18h.
Rua A, 394 - Guanambi (BA)